#VemAí: A Semana do Livro Nacional

ImageEstá chegando a SEMANA DO LIVRO NACIONAL que propõe difundir a literatura entre o público leitor brasileiro, promovendo, durante uma semana, somente autores e obras nacionais em todos os estados e cidades brasileiras. Para isso, conta com aparticipação de escritores, blogueiros, editores, livrarias e instituições públicas e privadas.

O evento, em Belém, ocorrerá nos dias 23, 24 e 25 de Julho de 2013, na Fox Belém e na Casa da Cultura Digital Pará. Horários: 15h às 20h / 10h às 18h com entrada Gratuita. Confira a programação!

 

Anúncios

O LIVRO PROIBIDO

 

Do Blog da Kali

Pra quem ainda não sabe, o livro do jornalista Ivo Patarra sobre o escândalo do mensalão e a responsabilidade de Lula no caso, que foi “proibido”, está disponível para leitura e download na Internet.

Nas décadas de 60 e 70 do século 20, não foram poucos os brasileiros a desafiar os “donos” do poder e a combater por liberdade e democracia. Muitos tombaram, mas a luta não foi em vão. Hoje o Brasil é um país livre e democrático, como demonstram os serviços prestados pela imprensa na apuração do escândalo do mensalão. Nesse início de século 21, a luta das forças progressistas é por justiça social e distribuição de renda. E a luta passa prioritariamente pelo combate à corrupção. A construção de uma sociedade sem tantas desigualdades pressupõe uma imprensa atuante, sempre pronta a denunciar o clientelismo, o fisiologismo e o chamado toma-lá-dá-cá. Jornalistas têm a missão de zelar pela transparência das ações do poder constituído e pela boa aplicação do dinheiro público, apontando desvios e demais expedientes que lesem os direitos e os legítimos interesses do povo. Se houver responsabilidade e espírito público, teremos nas mãos as ferramentas necessárias para assegurar investimentos em projetos sérios, eficientes e de alcance social. Dessa forma, transformaremos o Brasil num país desenvolvido e em uma grande nação. O escândalo do mensalão confirma, uma vez mais, que a imprensa livre, pluralista e vigilante é imprescindível à democracia e ao Estado de Direito. Nada melhor para a sociedade do que jornalistas determinados, incapazes de se curvar a pressões econômicas, chantagens políticas ou ao benefício das sempre generosas verbas publicitárias, em troca da omissão e do silêncio sobre o jogo sujo dos “donos” do poder. Este livro homenageia dezenas de profissionais de imprensa, aqui citados nominalmente. São repórteres que não se intimidaram, não abaixaram a cabeça aos poderosos da vez, e contribuíram de forma decisiva para desvendar e elucidar o mais extenso e complexo esquema de corrupção governamental da história brasileira, em todos os tempos.

Ivo Patarra
Julho de 2006

Rei Roberto Carlos perde processo de indenização e continua na batalha editorial!

O Rei Roberto Carlos deu um mãozinha ao autor Paulo César de Araújo ao proibir a venda de sua biografia intitulada “Roberto Carlos em detalhes”, entrou com uma processo de indenização por danos morais, mas acabou perdendo e a própria advogada de defesa do autor está recorrendo para a liberar a comercialização do livro.

A esta altura do campeonato, com o livro disponível na internet, não tem sentido manter a proibição

comentou a advogada Deborah Sztainberg.
já que ela falou… Para fazer o download do livro em formato pdf, dê um clique direito na imagem e selecione “Salvar destino como” (salvar link como)

Transtorno obsessivo compulsivo

A decisão da juíza reconhece que o cantor sofre de uma doença, o transtorno obsessivo compulsivo (TOC), mas assinala que ele é uma figura pública. O texto diz: “o interesse processual não pode firmar-se na obsessão compulsiva de tudo controlar sobre si mesmo, com o alheamento do direito democrático constitucional de informação, sobrepujador do direito à proteção da imagem e da honra, se a pessoa é pública e a informação verdadeira”.

A sentença faz referência ainda a direitos constitucionais ao analisar o argumento dos advogados de Roberto Carlos de que o autor do livro estaria obtendo ganhos financeiros com a imagem do cantor. Para a juíza, o uso não autorizado de imagem pode ocorrer “sempre que indispensável à afirmação de outro direito fundamental, especialmente o direito à informação – compreendendo a liberdade de expressão e o direito a ser informado”. O direito à informação se manteria “mesmo na presença de finalidade comercial, que acompanha os meios de comunicação no regime capitalista”.

Processo kakfiano

A advogada Deborah Sztainberg considera que o processo contra seu cliente é “kafkiano” e envolve uma pessoa muito poderosa, Roberto Carlos. Ela criticou os advogados do cantor por terem, na ação inicial, segundo a avaliação dela, “adulterado” o texto do livro. O capítulo intitulado “sexo, garotas e rock and roll” teria se transformado em “sexo, drogas e rock and roll”.

“Falta o último ponto do processo e agora vamos obtê-lo na justiça”, diz, confiante, Sztainberg.

A assessoria de imprensa de Roberto Carlos informou que o cantor está em viagem fora do Rio e ainda não tem uma posição sobre o assunto.

Aproveitamos o momento para relembrar uma música do REI… “daqui pra frente, tudo vai ser diferente, você tem que aprender a ser gente, o seu orgulho não vale naaaaada…!”