Dilma vai ser testemunha de defesa no caso do mensalão!

Extraído de: Jornal Cruzeiro do Sul – 4 horas atrás
Cruzeiro On Line

Tamanho do texto (somente para monitor):

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, vai depor no próximo dia 20 no processo que apura o esquema do mensalão. Dilma foi indicada como testemunha de defesa do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, e do ex-líder do PP José Janene. O depoimento deverá ocorrer na sede provisória da Presidência da República, que está funcionando no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília. A ministra será ouvida pela juÍza da 12ª Vara Federal de Brasília.

Além de Dilma, outras autoridades foram arroladas como testemunhas nesse caso. Entre elas o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o vice, José Alencar. O caso do mensalão tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) desde julho de 2005. A denúncia contra os 40 suspeitos de envolvimento no esquema foi recebida pelo STF em agosto de 2007. Com o recebimento da denúncia, foi aberta uma ação penal.

Recentemente, o STF divulgou que o presidente Lula tinha sido arrolado como testemunha de defesa por dois réus no processo, Jefferson e Janene. Já José Alencar será testemunha do deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP).(AE)

O LIVRO PROIBIDO

 

Do Blog da Kali

Pra quem ainda não sabe, o livro do jornalista Ivo Patarra sobre o escândalo do mensalão e a responsabilidade de Lula no caso, que foi “proibido”, está disponível para leitura e download na Internet.

Nas décadas de 60 e 70 do século 20, não foram poucos os brasileiros a desafiar os “donos” do poder e a combater por liberdade e democracia. Muitos tombaram, mas a luta não foi em vão. Hoje o Brasil é um país livre e democrático, como demonstram os serviços prestados pela imprensa na apuração do escândalo do mensalão. Nesse início de século 21, a luta das forças progressistas é por justiça social e distribuição de renda. E a luta passa prioritariamente pelo combate à corrupção. A construção de uma sociedade sem tantas desigualdades pressupõe uma imprensa atuante, sempre pronta a denunciar o clientelismo, o fisiologismo e o chamado toma-lá-dá-cá. Jornalistas têm a missão de zelar pela transparência das ações do poder constituído e pela boa aplicação do dinheiro público, apontando desvios e demais expedientes que lesem os direitos e os legítimos interesses do povo. Se houver responsabilidade e espírito público, teremos nas mãos as ferramentas necessárias para assegurar investimentos em projetos sérios, eficientes e de alcance social. Dessa forma, transformaremos o Brasil num país desenvolvido e em uma grande nação. O escândalo do mensalão confirma, uma vez mais, que a imprensa livre, pluralista e vigilante é imprescindível à democracia e ao Estado de Direito. Nada melhor para a sociedade do que jornalistas determinados, incapazes de se curvar a pressões econômicas, chantagens políticas ou ao benefício das sempre generosas verbas publicitárias, em troca da omissão e do silêncio sobre o jogo sujo dos “donos” do poder. Este livro homenageia dezenas de profissionais de imprensa, aqui citados nominalmente. São repórteres que não se intimidaram, não abaixaram a cabeça aos poderosos da vez, e contribuíram de forma decisiva para desvendar e elucidar o mais extenso e complexo esquema de corrupção governamental da história brasileira, em todos os tempos.

Ivo Patarra
Julho de 2006